11 de jun de 2010

Aqui embaixo



Daqui debaixo, pouco enxergo, ando meio cega procurando entender teus planos.
Será mesmo necessário?
Daqui, você parece brincar de ensinar lições em que os tombos são para valer.
O vento traz tua risada dizendo que vai passar, mas teu tempo é manso e caminha devagar.
Olhando daqui, é difícil compreender... não tenho a visão privilegiada do meu destino como você.
E todos dizem que você sabe o que faz... nunca erra, é bom e justo.
Eu o obedeço, mas não posso deixar de fazer uma pergunta: eu tenho cura?

Sabrina Davanzo

Um comentário:

Renata de Aragão Lopes disse...

Tantas perguntas a Ele...

Beijo doce de lira, Sabrina! : )