2 de mai de 2014

Das coisas que a gente aprende...




A gente só descobre o quanto pode suportar, suportando. 
A gente só descobre o quanto acredita, acreditando. 
A gente só descobre até onde dá para insistir, insistindo. 
A gente só descobre até onde é capaz de ir, indo.
A gente só descobre como esperar, esperando. 
A gente só descobre como aceitar, aceitando.  
A gente só descobre o que é viver, vivendo. 
Não existe o caminho da experimentação. 
Nem rascunho, nem reedição. 
A gente só descobre o que é ser o que a gente é, sendo. 

Sabrina Davanzo 



25 de fev de 2014

Declaração



Nossa felicidade é simples. É daquelas que come bolo de fubá e toma café em uma xícara com a alça lascada sobre uma toalha puída. 

Nosso querer é tímido. É como desejar abrir os olhos em uma manhã preguiçosa de domingo. 

Nosso contato é de olhar para olhar,ignorando todas as redes sociais à nossa disposição. 

Em tempos de relacionamento 2.0, até a nossa roupa suja é lavada numa área de serviço que só cabe nós dois e um cheiro delicioso de amaciante de morango. 

Eu te amo, como diria Lulu Santos, “calada, como quem ouve uma sinfonia”. Esse amor não é instagranizado, compartilhado, curtido. É vivido - a forma mais antiga, real e humana de estar com alguém. 

Te amo tanto e indecentemente que soa até impublicável. Não conta pra ninguém. 


Sabrina Davanzo