27 de jan de 2009

Quando me encontro



Às vezes, paro no meio do tempo e pergunto se sou deste mundo.
Horrível a sensação de me olhar e não me reconhecer.

Acho que essa vontade de tentar contato se chama ausência.
Não é sempre que ela está presente. Só quando falta eu mesma. Só quando entre tantos, também não me encontro. O que mora dentro de mim tem vida própria, e dia sim, dia não, decide me amar. É quando me sinto bem. Quando um sorriso me cai como uma luva.
Estou aprendendo a lidar com essa carência de mim mesma: finjo que estou.
Finjindo vou sendo. E ser é existir de verdade.

Sabrina Davanzo


7 comentários:

Ana Paula Sampaio disse...

Amei! (que novidade... rs) Sabrina, vivo me perguntando se sou desse mundo... Sim, querida, às vezes falta a gente mesma... Difícil é descobrir afinal que gente mesma é essa, que uma hora está aqui, outra hora já passou! =) Beijos!

Sabrina Davanzo disse...

Ana, adorei seu comentário!
Se eu pudesse resumir o texto em poucas palavras seria assim: igual ao seu comentário =D
Acho que devemos nos acostumar com essas indas e vindas de nós mesmos.. Um beijo!

nina rizzi disse...

somo-nos. tudos.

souto disse...

e essas ilustrações são também um achado viu!
gostei :]
sérgio

Ana Paula Sampaio disse...

Sabrina, brigada pela visita! Sim, felicidade e simplicidae, faz muito sentido que andem sempre juntas! beijos e bom final de semana pra você também!

F. Júnior disse...

qdo me olho no espelho me lembro de uma cançao que diz algo como, eu não sei quem eu sou...

Sabrina Davanzo disse...

Júnior, linda observação. Também me sinto assim... onde e quando foi que deixer de me reconhecer?