21 de jan de 2009

Pronto Atendimento



Existe uma urgência dentro de mim.
Alguma coisa muito viva clama por mais dentro das minhas veias.
Não. Não sou viciada em entorpecentes ou alucinógenos.
Meu vício é ânsia por acontecer.
Minha urgência é porta de pronto-socorro.
Entra e sai um grito, um soco no estômago, um arranhão fundo, um corte superficial.
Minha auto-medicina me intui. Posso fazer um curativo de calma, uma tala que sustenta angústias. Aplicar uma ampola de tempo para aliviar a dor.
prefiro esperar pelo atendimento especializado.
No banco gelado da ausência outros acidentados cruzam meu caminho, reparam em minhas feridas. Não os olhos. Meu sofrimento me basta.
A sirene toca. Emergência. Alguém pior que eu chega apoiado em uma desculpa (muleta). Hiii..Vão passá-lo na minha frente.
Não. É hora de trocar plantão. Trocar o dia, a noite.
Pergunto a atendente:
"Demora muito para que eu seja atendida? Não aguento mais esperar!"

Sabrina Davanzo



6 comentários:

vanessacamposrocha disse...

também me sinto assim... muita vida, para pouco mundo?

Sabrina Davanzo disse...

Ei, Vanessa!
que dúvida.. talvez também seja muito mundo, para pouca vida?

Obrigada pela visita! Bjim!

F. Júnior disse...

será que todo mundo se sente assim... sofre desta urgência? pois eu sofro... quero tudo e quero agora...

Sabrina Davanzo disse...

Júnior, acho que essa urgência é fome de vida.... medo de não dar tempo de se fazer e conhecer tudo... pelo menos para mim é assim!

Agência imagi disse...

Sabrina Davanzo.

Sabrina Davanzo disse...

João? rs