4 de mai de 2009

Sobre traumas



Sempre tive medo de andar de bicicleta. Achava tão inseguro, desprotegido. No fundo eu me sentia mal por ser a única da turma que não desfrutava da liberdade de sentir o vento na cara, enquanto pedalava a cecizinha. Olhava, ao longe, as bicicletas coloridas se afastarem, equanto eu ficava na firmeza do chão. Hoje eu vejo que deixei de experimentar por não ter certeza de como seria. Medo da queda. Medo da dor, que talvez nunca chegasse.
Não andei de bicicleta na infância e não ando até hoje. Ainda não me acostumei à incerteza.

Sabrina Davanzo

4 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Confesso que fui aprender mais ou menos a andar de bicicleta no fim da adolescência...
Bom texto.
Um beijo.

- Henrique Pimenta

Susanna disse...

Eu ando de bicicleta, e tenho todas as cicatrizes dos tombos...

Trauma mesmo, só com o creme de leite! rs

Não como, não como, não como!

Beijos!

Izabela disse...

E um dia eu percebi que se não andasse de bicicleta perderia um momento especial, mesmo que não soubesse andar, mesmo que não houvesse freios. Então fui... Pela rodovia, pela estrada de terra.. E nunca irei me esquecer.

marciojames disse...

Eu também nunca aprendi... rsrs
Adoro o que você escreve e seu blog, desde que o descobri, passo sempre por aqui. Beijos.
Márcio