31 de mai de 2009

Sobre letras e barcos

Barquinho de papel desliza na água
leva embora o ditado escrito com tanto esmero.
Cada letra bordadinha em seu devido lugar,
Encantava a professora
era bonito de se olhar.

Podia ser um barquinho de álgebra, ou ciência.
Mas seria muita responsabilidade para a embarcação.
Imagina informar os passageiros
sobre raiz quadrada de setenta e oito
ou, pior, contar sobre as células do corpo.

Melhor um barquinho pautado, bem aportuguesado
que sabe de cor e salteado
qualquer palavra que lhe perguntar.

Essa viagem, tem uma tripulação especial.
Junto com o barquinho
vai o trema que caiu em desuso e depressão,
e o acento de ideia, que não tem mais utilização.
Só ficou de fora o hífen, que com tanta confusão,
esse o barquinho não leva não.

Sabina Davanzo

Texto postado no Coletânea Artesanal que, este mês, tem o tema Sobre letras e barcos.


9 comentários:

Bill Falcão disse...

"E o barquinho vai/e o barquinho vem..."
Bjooooooo!!!!!!!

BAR DO BARDO disse...

Prefiro a sua prosa poética a seu poema. É gosto pessoal, o meu gosto, mas, talvez, possa ser uma dica.

Um beijo de admiração!

- Henrique Pimenta

Sueli disse...

Ainda bem que ele deixou o hífen. Fica tudo tão confuso sem ele... Beijocas!

Su disse...

Se o barquinho vai com o sem hífen eu nao sei... mas ao seu comando as palavras formam um balanço que encanta!
Bjosssssssssss

Sus-pensa disse...

Sabrina, como faço pra falar com você? Tem algum email??

Beijo!

Mayana Carvalho disse...

Gente, simplismente amei...
O uso dos dois sentidos, perfeito!

Beijos

Ana Paula Sampaio disse...

Sabrina, que coisa mais deliciosa!!! Amei! =) beijos, querida!

Juliana Licio disse...

Será que esse barquinho enfrentará as ondas do oceano para chegar são e salvo naquele outro lado, onde também se fala o português, ora pois?
Bom, de qualquer maneira, é bom levar um salva-vidas...

Adorei Sabrina.

Renata de Aragão Lopes disse...

Adorei os versos:
a ideia (sem acento) desenvolvida;
a depressão do trema (cujo fim também me abalou);
o hífen deixado em terra firme,
porque o barco (de ditado) precisaria seguir em paz.

Passearei mais (a pé) pelo seu blog. (risos)
Desde já, parabéns!