6 de out de 2010

Por nada


Anda tão ausente de si mesma que corre o risco de se encontrar em alguma rua agridoce da solidão.

Traz o queixo colado ao peito e o olhar pregado à rua. Sempre sorri quando vê passar uma barata apressada em direção ao lixo na calçada. Para ela, isso significa que alguma coisa no mundo faz sentido, existe um motivo.

Sabrina Davanzo

Um comentário:

Poupée Amélie™ disse...

Coitadinha! Ela precisa levantar a cabeça e apreciar os passáros ao invés das baratas.
BjO*