17 de out de 2010

Doação


Existe uma doença muito comum que muitos não reparam e outros tantos ignoram, mas ela está presente em quase todos. Trata-se de amor reprimido. Sabe aquela vontade de dar o melhor de você, de amar, de oferecer carinho e não ter a quem entregar? Dentro da gente tudo isso vai virando um peso, quase arrebenta o peito querendo sair para fora, explodir em outro coração.
Não tem remédio que cure essa doença até que apareça alguém disposto a receber tudo o que você tem para doar. E o pior é que temos a impressão de que as pessoas estão procurando por isso, quando na verdade a maioria traz o peito em chamas. Parece não ter solução. Eu mesma estou padecendo desse mal e espero na fila de doadores a minha vez de fazer alguém feliz.

Sabrina Davanzo

10 comentários:

rívea duarte disse...

Padeço deste mal também, é tanto amor aqui dentro que não cabe mais em mim! Não é a primeira vez por aqui, mas é a primeira vez que comento. Adorei, estarei sempre por aqui .. . Até breve, bom começo de semana! ^^

Débora Cecília disse...

o meu maior medo é nunca encontrar a cura deste mal...

Eduardo disse...

._.

Ai Sassá.

Ana Carolina disse...

Todos passam por esse mal, as vezes mais de uma vez na vida, mas aprendi que só podemos esperar e não devemos procurar alguem para doarmos todo esse amor, devemos deixar essa pessoa nos achar.

http://anitaguiar.blogspot.com/

Everton Augusto Corso disse...

Essas doações podem ser feitas em cada gesto. Talvez seja esta uma forma de assepsia.
Abraço de paz.

Clara Gontijo disse...

Transborda!!!! aiui!!

Anamarela disse...

Fantástico! Posso publicar no meu blog? Com os devidos créditos, é claro!

Anamarela disse...

Postado! Dá uma olhada e qualquer reclamação só dizer! Brigada...

Seilá Quem disse...

O____O

"uau"

como ousas assinar este poema como seu? tiraste as palavras de minha boca sem permissão!

Marcelo de paiva disse...

ticrica, esse é um dos melhores... saudade de você por aqui, Marcelo