26 de jun de 2009

Raridade

Quanto mais eu cresço, menos amigos tenho. Quanto mais pessoas conheço, mais superficial se torna minha relação com elas. Lembro de uma época onde eu não concebia estar entre amigos e não abraça-los. Era impossível não existir intimidade. A proximidade física implicava cumplicidade, sintonia.
"Bom dia", "tudo bem" não eram obrigatórios caso o dia não estivesse valendo a pena ou a vida não estivesse lá grandes coisas.
Não se faz mais amigos como antigamente. Daqueles que você ganha não só atenção, mas colo. Já tive amigos de passar tardes pulando na cama imitando uma cantora mexicana sem saber falar espanhol. Já tive amigos de dividir a mesma lata de "leite moça" sem o menor receio pois havia confiança. Hoje, mal divido um sorriso, uma angústia.
Amigos como atigamente estão cada vez mais raros. Difíceis mesmo de se encontrar.
O que aconteceu? O mundo mudou? Ou será que fui eu?
Eu não sou mais a menina divertida e legal que eu era? Ou as pessoas não tem mais tempo para serem amigas?

Sabrina Davanzo


10 comentários:

Anônimo disse...

infelizmente n tem tempo para serem amigos :/
o mundo hj mudou de lá pra cá e por vários motivos

Fabi disse...

é tão dificil encontrar amigas assim agora né?
antes a gente dava importância a qualquer 'besteira", e nos fazia feliz..como por exemplo,lembrar q saltamos na cama com a amgia imitando a cantora..ou comer o leite condensado sem receios...
Tudo hoje há pensando por trás...receios demais...onde teóricamente somos vacinados, temos muito mais segurança..porém, mais doenças, mais assassinatos, assaltos..
triste né?
o que serão dos nossos netos? Nao consigo nem imaginar.
Bom texto Sabrina
Beijo grande
Fabi

Maria disse...

Talvez os amigos tenham virado adultos.

P.S.: Eu não gosto de adultos.

Meu beijo

Neotenia disse...

Eu ainda preservo amizades "infantis", no sentido real da palavra, pessoas com quem posso passar uma tarde inteira rindo de um monte de besteiras!

Sempre gosto de dizer que ter amigos é um dádiva divina! Graças a Deus tenho amigos que me cativam dia-a-dia!

teoriasimpossiveis disse...

Boa pergunta, caso descubra a resposta, seja gentil e divida comigo. Bom domingo pra vc...
Lunna

Carolina de Castro disse...

Crescer é uma perda de tempo!!
Vamos pra Terra do Nunca!!!!!
Amei seu blog!
Vou vir sempre
bjos

BAR DO BARDO disse...

nada mais tórrido em um relacionamento desapegado do que o amor verdadeiro, posto que é invisível...

Priscila Lopes disse...

Meninaaa, eu super entendo o que você escreveu! Acho que tem a ver com a nossa idade, não sei como as coisas se transformam, só sei que quando a gente se dá conta, está assim como você descreveu: ausente de amizades intensas. Aliás, nem sei se teria hoje tempo para: "passar tardes pulando na cama imitando uma cantora mexicana sem saber falar espanhol", entende? Quem sabi no final de semana, mas daí tem a roupa pra lavar, a vida pra levar...

Ah, adorei o nome do blog!

Abraço!

laura* disse...

também, várias vezes me sinto da mesma maneira.
e é tão difícil perceber isso e reconhecer que algumas amizades não são do jeito que se gostaria...
brigada :D
também adorei o "inverso meu"!
Comecei a te seguir...

beijo e volte sempre! :*

Monique disse...

Me sinto assim, o tempo todinho.