23 de jun de 2009

Invisível



A relação dos dois é como criança-escondida-atrás-da-cortina-com-o-pé-pra-fora. Ele sabe que ela está ali, mas finge que não vê. Lamentável dizer que não é para tornar a brincadeira mais emocionante. Ele age assim há mais de vinte anos.

Sabrina Davanzo

5 comentários:

Clara Gontijo disse...

Tem gente que não sabe sentir... o que os olhos não vêm o coração não sente, não é? que desperdício de felicidade... quem derruba essa cortina nunca se arrepende!

octavio roggiero neto disse...

Sabrina, cultive sempre essa ternura, viu? A sensibilidade é um tesouro que muitos guardam dentro de si, às vezes tão bem escondido, que nunca mais encontram. Por isso, é sempre bom deixá-la à mostra para que fique bem claro para nós e para o mundo o que somos. O layout de seu blog me lembra aqueles cadernos de infância encapados com plástico xadrez, sabe?

BAR DO BARDO disse...

Intrigante e bonitinho...

Sueli disse...

E ela continua ali, atrás da cortina? ... Será que ela sabe o que pode estar perdendo, talvez ali no jardim? ...
Abração!

Neotenia disse...

Talvez ele não saiba como se expressar, ou talvez vc não consiga compreender como ele se expressa... Mas ele está ali, não está?

As suas palavras são mágicas, Sabrina!