29 de jun de 2009

Inundação


Sou barragem que segura águas inquietas, revoltas. Um dia acaba que não me aguento: rompo.

Sabrina Davanzo

4 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Sim, um dia...

teoriasimpossiveis disse...

Isso me fez pensar em horizontes. Não pergunte a razão...
Bjs
Lunna

Renata de Aragão Lopes disse...

Tenho um poema inédito, inscrito em um concurso literário em andamento, que diz exatamente isso: nós, mulheres, somos represas...

Assim que puder, eu o postarei lá no blog. Beijo pra você, Sabrina!

Andrea Guim disse...

Amei!!
Bjs!