1 de dez de 2008

chegou dezembro


Chegou dezembro.
Todas as luzes nas casas e nas ruas se acendem. Uma combinação de cores para lembrar que o Natal está próximo. Enquanto fazem sua coreografia de apagar, acender, piscar, tornam o ambiente cheio de uma magia que não se explica.
As ruas se tornam repletas de verde, vermelho, prata, dourado.
Cores que o ano todo se comunicam separadamente, nesta época se unem para comunicar a chegada de um sentimento maior.
Cartões de confraternização chegam trazidos pelo correio ou pelo e-mail. E assim, virtual ou analogicamente nos sentimos abraçados e amados por aqueles que fazem parte de nossas vidas, ainda que distantes.
Em dezembro, aumentamos infinitamente as arrecadações do mercado comprando lembrancinhas para quem esteve presente ao nosso lado o tempo todo, não importando o que acontecesse.
Sem saber bem porque, nesta época o coração sente um apertozinho e é hora de fazer um balanço.
“o que foi que eu realizei? Em que momento poderia ter agido diferente? Quanto eu aprendi? Quantos amigos fiz este ano? De quantos me afastei?
Quantos sorrisos, abraços ofereci?”
Talvez pela incerteza do que está por vir no próximo ano, talvez por que só agora tivemos tempo para refletir, é nestes últimos trinta dias que fica mais forte o amor que sentimos o ano todo e não demonstramos.
Nessa época, nossa vontade de ser bom se aflora e nos atrevemos até mesmo a pegar uma cartinha de uma criança carente destinada ao papai-noel para realizar seus desejos. Ainda que ela tenha passado necessidade todos os meses, só em dezembro conseguimos voltar nossos olhos para além de nós mesmos e nossas vidas agitadas.
Bendito seja o espírito do Natal. Seja ele um velhinho gordo e bondoso ou um sentimento maior e mais puro que se desperta em cada um de nós.
Só o que desejo é que ele não passe. Que ele, ao chegar janeiro não nos abandone. Só assim a humanidade poderá compartilhar todos os dias essa bondade, essa vontade de ajudar o próximo, o desejo de tornar o mundo um lugar melhor.
Só assim quando o próximo dezembro chegar, ele não irá encontrar enchentes, atentados, fome, incertezas, doenças, maldade.
O meu desejo é de que o próximo dezembro só encontre o amor que um dia ele mesmo despertou.

Sabrina Davanzo


2 comentários:

thiagoo disse...

Mor, parabéns pelo seu texto.. tá lindo, que nem tudo que voce faz.
rs
bjim

Lucimara disse...

Lindo Texto!!!

Todos os meses de nossas deveriam ser Dezembro temos que levar o esprito de natal dentro de nós.
Buscar la no fundo do nosso coração a bondade escondida ao longo do ano.

Bjs amiga!!