21 de out de 2008

Flor menina

Todos os dias ela saia para ver a flor.
Era um olhar tão profundo. Olhar de mãe que vê o filho crescer.
Depois, lentamente, entrava toda para dentro de si e ficava em silêncio.
Ela procurava a textura da flor dentro dela. Em algum lugar deveria existir aquela maciez.
Ela se sentia dura com a vida. Não chegava a ter pena de si mesma, apenas sentia não sentir.
Olhava seu reflexo e não se via. Isso é possível?
Ela dizia que não refletia nem em pensamento, nem em fisionomia.
Por isso, a flor. Textura que vem com beleza e reflexão.
Só não é possível alcançar seu cheiro. E de nada adianta os perfumes, soariam artificiais.
Deve ter a ver com a terra ou algo sobre ser criado por Deus. Ela procura a simplicidade de ser nas coisas criada por ele. Ela imagina que se igualando a flor talvez se aproxime um pouco mais daquele que criou as duas sem nenhuma distinção.


Sabrina Davanzo

Um comentário:

Tunai Giorge disse...

.

"Ela procurava a textura da flor dentro dela."

Que delicadeza... Muito bonito. Parabéns!

.