26 de out de 2008

Dicionário

Saudade sempre dá quando se olha para trás e pensa no que não volta mais. Ou se volta, vem diferente. Nunca mais é como antes. Nunca mais é aquele mesmo instante. Saudade do sorriso da melhor amiga que, mesmo que ainda esteja por perto, o sorriso já mudou. Fez clareamento, usou aparelho, o dente que era torto, endireitou.
Saudade de agir inocentemente, sem pensar.
Inocência. Palavra pura que só existe na infância. Não combina com gente grande.
Só a saudade... saudade de não ter malícia, não enxergar a maldade.
O tempo voa e enquanto se vive é preciso segurar em sua mão e ir deixando tudo. É daí que nasce a ausência.
Ausência. Palavra que dói. É um não estar que fica na memória lembrando que um dia existiu.
Existência. Por causa dela se descobre o dicionário.
Saudade.. pés descalços no quintal.
De repente, você está diferente. Saudade de ser aquele outro alguém que você já foi algum dia.
Solidão. Olhar para dentro e não encontrar nem a sua companhia.
Solidão é palavra que ninguém queria. Provoca dor na alma. Difícil de sarar. Difícil se acostumar.

Sabrina Davanzo

Um comentário:

Laura disse...

Sabrinitcha, acho que sem querer estava esperando o momento certo de deixar meu comentário.. Como você sabe, adoro seus textos! E este é novo, pelo menos p/mim.. achei oportuno deixar gravado nele a minha admiração por você e por tudo que você escreve... os seus textos são sensações que fluem nas frases e tomam forma com as palavras. É assim que a gente expressa a loucura e a fragilidade das emoções. Parabéns! E vou sentir saudades.. mas não quero perceber a ausência! Beijos da Lauritcha.