20 de out de 2008

Ai

Ai, que hoje estou com pressa. Pressa de mim mesma. Há quanto tempo não me vejo? Lembrei agora da caixinha de música. O que faz a bailarina até que a ponham para dançar? Estaria o cheiro da caixa a entediar? Ai, que hoje me senti um noivo apaixonado à espera no altar. “E essa felicidade que não chega... quanto tempo ainda hei de esperar?” Ah, lembrei também dos relógios. Bem na hora que a corda está para acabar. Sente ele o seu próprio fim? Consegue não se desesperar? Penso que a pressa e a vontade empurram o caminhar. Ai, que hoje vi que a música não pára. É constante. Quem me dera ser música. Há quanto tempo sou apenas nota que não sai do lugar?

Sabrina Davanzo

Nenhum comentário: