2 de ago de 2010

Intempéries



Aconteceu um terremoto dentro de mim que tirou tudo do lugar.
Preciso começar do zero. Preciso reerguer minhas estruturas, quem sabe do jeito certo agora.

Não é fácil ter atitude depois de um abalo dessa proporção. Necessito de toneladas de doações não perecíveis como paciência e amor.
Estou deitada, sem forças, nos escombros, mas antes lembrei de riscar no chão a sigla SOS (sempre funciona nos filmes) na esperança de passar alguém que se compadeça de mim e me ofereça ajuda humanitária.

Sabrina Davanzo

3 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Alguém haverá de lhe socorrer, Sabrina!

Beijo,
Doce de Lira

Lú disse...

Querida Sabrina,

não sabe como suas palavras me tocam e me doem o coração, ainda mais quando penso que já senti tudo que leio aqui. Entendo dessa angústia, e desse aperto no peito, dessa vontade de não levantar das ruinas, dessa impossibilidade de juntar os cacos e seguir adiante. Do desejo de que alguém nos levante e construa tudo de novo.
E mesmo entendendo isso tudo, ainda acho que tenho algo a te falar, eu sinto que não posso deixar de dizer. Isso tudo só passa quando nós levantamos por nós mesmos, e seguimos sozinhos. Ninguém pode, deve, nem precisa nos levantar, pode parecer impossível agora, mas é o certo. Temos que seguir sozinhos, desapegados, e assim teremos o mundo em nossas mãos. A ajuda está dentro de você, nos seus sonhos, e principalmente em como você, e só você, vai fazer para alcançá-los.

Espero ter te ajudado,
Grande beijo

Poupée Amélie™ disse...

Sabrina,
A dor é um sentimento que sempre fará parte da vida do ser humano.
O que não podemos é deixá-la nos dominar por muito tempo. Curtir a dor é necessário. Chorar, não ter vontade de nada é natural (até certo ponto).
Não deixe que coisas ruins ofusquem o que de bom acontece e poderá acontecer.
Já chorei bastante nessa vida e ainda choro. Mas procuro encarar cada fase negra como aprendizado e um degrau de uma escada que só me levará para cima.
Outra coisa: confie em Deus. Ele não permitirá que carregue algo maior do que possa suportar.
BjO*