12 de ago de 2010

Caixa de entrada

Recebi seu email, amiga, e devo confessar que também me deu saudade daquela época. Quando bastava um astro do rock pra nos fazer felizes. Quando o presente era muito mais importante que o passado. E que o futuro... Tínhamos a eternidade como nosso futuro! As assombrações da meia-noite não vinham perturbar e o dia não era tão pesado quanto é agora.
Quando foi que deixamos de nos divertir? Quando foi que tudo deixou de ser prazer e se tornou uma eterna e intransponível obrigação? Quando foi que deixamos de ter tempo para nós mesmas e para nossos amigos tão queridos?
Tantos queridos estranhos em nossas vidas agora... Estranhos que acabam tomando tamanha importância, que às vezes chego a ficar com medo da presença deles.
Lembra do lançamento do Titanic no cinema? Tivemos tempo de sobra para irmos assistir o mesmo filme com final deprimente 20 vezes! Tínhamos tempo de comprar os presentes mais absurdos de aniversário uma para a outra. Procurávamos interminavelmente. E como era bom! Era como se fôssemos ter aquele tempo pra sempre. E, de certa forma, tivemos. Algo que nunca vai passar, nunca sairá das nossas lembranças. Sonhos que continuam bem vivos.
Naquela música que você falou, o Bon Jovi diz que em algum lugar alguém está sonhando ("Somewhere someone's dreaming"). E acho que é nisso que devemos nos prender, amiga. Nos sonhos. Naqueles sonhos que dependem só da gente. Naqueles em que acreditamos de verdade. Naqueles em que nada é impossível. Nos sonhos inocentes e, mesmo assim, tão reais. Naqueles sonhos que sonhamos acordadas pouco antes da meia-noite chegar.
Não fique triste pela meia-noite que se fez em seu coração, amiga. A meia-noite pode trazer lembranças ruins, pode tirar seu sono, pode até dar medo. Mas é bom pensar que depois dela um dia novo começa e que a dor acaba passando.
Dói tanto porque a gente deixa doer e porque foi importante pra gente. Dói tanto porque, como sempre em sua vida, você se doou. E, se por um lado é triste pensar que dói tanto, pelo outro é bom saber que parte da sua doação vai se transformar numa sementinha plantada no outro, nos outros. Uma sementinha de esperança plantada neste mundo tão injusto às vezes.
Sei que tem sido difícil arrumar tempo pra nos encontrarmos, amiga. Como o Bon Jovi fala na música, eu queria estar lá pra cantar essa música (wish that I was there to sing this song). Queria estar aí ao seu lado agora, amiga, pra te dizer que sua meia-noite vai passar. Mas, quem sabe não conseguimos marcar aquele dia para lembrarmos de dias mais felizes, quando eram três da tarde em plena meia-noite? Vai ser bom rir ao seu lado de novo, deixar sua presença iluminar o ambiente.
Amanhã te ligo, amiga, e combinamos algo pro fim de semana. Quem sabe já não compramos o ingresso para o show?

Carol (por e-mail)

Um comentário:

Anônimo disse...

Sabrina
Quem tem uma amiga assim, já é rico!!
Aproveite essa amizade e curta tudo que ela pode oferecer!!
Dias melhores virão!!

Abraço carinhoso de Marcia