3 de mai de 2010

A vida que eu quero...


O que eu quero da vida é outra vida porque esta parece já não me caber. Não comporta minhas experiências, é demasiada pequena para o que eu sei. Oh, Deus! Esta vida é tão leve para o peso do meu espírito cansado que de vez em quando minha alma sobe aos céus para lhe implorar providências divinas.
Tal como um limbo é o lugar em que encontro-me para tentar ser feliz apesar de. É trabalho para Hércules. De onde arrancar toda força necessária?
Poderia eu ter a forma que mais me trouxesse paz? Pois te pediria para transformar-me nos seres ainda desconhecidos que habitam as profundezas dos mares. Imploraria para que me fizesse uma ave rara que voa até o infinito e repousa no topo da montanha mais alta e inalcançável. O que eu temo, o que eu não quero é continuar nessa condição humana onde existe dor até na alegria. Eu que já descobri que ela finda como uma água na fonte. A alegria passa.
A vida que eu quero não tem nome. É começo de tudo, um nada, um não compreender, não existir. A vida que eu quero transcende o meu ser.

Sabrina Davanzo

3 comentários:

Eduardo disse...

Ohhh lindinha.

Imilena disse...

Qeu lindo, Sabrina não a conheço pessoalmente mas da pra perceber que voce tem uma alma muito linda parabéns pelo espaço e sempre venho aqui embora quase nunca comente sempe te leio e acho que isso é o mais importante.
bjs minha linda e continue escrevendo com o coração!!

♥ Evelin Pinheiro ♥ disse...

Lindo texto Sabrina!
Sem dúvida, a parte que mais gostei foi quando diz "minha alma sobe aos céus para lhe implorar providências divinas". Essa é a melhor saida sempre, pois Deus revigora as forças ao cansado!

BjOs da Eve*-*

http://evesimplesassim.blogspot.com/