30 de mar de 2009

Astronauta



Ele tinha um avião supersônico no qual viajava todas as noites. Visitava outros planetas, passeava pelas galáxias.
Fez amizade com um marciano que estava de passagem por Júpiter. Explicou a ele como funcionavam as amizades aqui na terra e tratou de avisar: "mais cedo ou mais tarde eu vou lhe magoar mas, como amigo, você deve entender e perdoar".
O marciano concordou. Ele sabia que essa amizade só duraria enquanto o menino tivesse sonhos. E nunca se sabe quando alguém vai deixar de sonhar: pode ser que nunca... mas também pode ser pra já.
E toda noite eles bricavam de astronauta.
De manhã, quando a mãe ia acordar o menino para a escola, via aqueles pezinhos sujos e não entendia.
Pezinhos descalços que brincaram na poeirinha da lua... ela nunca adivinharia. Ela já não sonhava.

Sabrina Davanzo

5 comentários:

Dulcineia (Lília) disse...

Hummm
Nas m/deambulações cheguei aqui...
Não é Marte. Mas é um espaço que questiona, bonito.
Parabéns!
Voltar cá, com mais calma e tempo
Beijinho
Lília

Monday disse...

bom, quando pai e mãe não sonham mais, é sinal que está na hora dos filhos cuidarem deles e colocá-los na cama pra dormir ... não sem antes contar uma bela fábula ...

marlise disse...

Bela estória. Lindo sonho de criança. Reflexão bonita e adulta sobre as amizades. Que ela continue sonhando por muito e muito tempo...

BAR DO BARDO disse...

Todos os dias eu acordo com os meus pés sujos...

Maria disse...

Mas espero que ele não deixe de sonhar nunca ^^