26 de jan de 2010

Paciente


Nem falava com ele ultimamente tamanho era seu ódio por aquele que resolveu interferir no seu destino, mudar sua vida tão certinha e politicamente feliz.
Ele espera pa-ci-en-te-men-te até que sua raiva passe. Então irá lhe mostrar que enquanto ela fazia tempestade dentro de sua alma, ele preparava um sol quente e maravilhoso aqui fora.
Até que esse dia chegue, ele pede baixinho: abra os olhos. Enxergue além das lágrimas, além do agora.

Ps: Para Carol

Sabrina Davanzo


3 comentários:

disse...

Simples e perfeito.
E ele, sempre ele... nada como o tempo.

Beijo doce

Renata de Aragão Lopes disse...

Enxergar além das lágrimas
- que lindo isso!

Saudade da sua escrita!

Um beijo,
doce de lira

Carol disse...

Oh, amiga....