30 de set de 2009

Cantoria


Cigarrinha canta canta

no meu quintal
Trouxe até amigas
para formar coral.

Eu, sem tempo,
não posso apreciar
mas bem sei...
não é meu esse cantar.

Cigarrinha e seu coral
Cantam triste e forte
só pra esperar a morte.

Sabrina Davanzo

2 comentários:

Talita Prates disse...

Qual será (teremos?)
o canto humano
fúnebre?

Muito bonito, Sabrina!

Bjo, e paz.
:)

marlise disse...

E quantas delas, meu Deus, há na minha cidade a cantar!