1 de out de 2009

Consistência



Meu mundo é diamante bruto, ainda sem lapidar. Meus sonhos são pérolas não formadas, ostras em plena árdua função. Meus delírios são pontinhas de orelhas de um coelho prestes a sair da cartola. Minha fala é estrela cadente em seu último instante de brilho. Meus gestos, Deus me livre, não são friamente calculados. Ao contrário, são apitos de chaleiras fervendo água em ebulição. Minha alma é eterea como as explosões cósmicas. Nunca percebo o momento em que elas acontecem, mas sei que existem e isso é o que torna estranhamente diferente cada bendito dia da minha vida.

Sabrina Davanzo



6 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Boas imagens por meio das palavras...

renata disse...

e é tão bom ir moldando...

beijos e parabéns pelo livro!

Ana Paula Sampaio disse...

Sabrina, senti vida lendo seu texto! Lindo! Como faço pra comprar o livro? Beijos!

Fabi disse...

Eis que pego um Jornalzinho Varginhense..e quem eu vejo?sim, a Dona Sabrina mesmo!
Quando vem lançar o livro em terras do Sul de Minas?com direito a noite de autografos e td mais? :)
eu quero ummmmmmmmmmm!

beijao e toda a sorte do mundo...
obs: lindos textos cm sempre!

Renata de Aragão Lopes disse...

Um viva à espontaneidade!

Beijo,
doce de lira

Bê Matos disse...

Que coisa mais doce de se ler, Sabrina! :)

tudo aqui é lindo, rs.
Gostei mesmo.

Beijos. :*