3 de ago de 2009

Pedras no caminho



Andava despreocupada quando deu uma topada.
- Ai! Vê se olha por anda! Esbravejou Dona Pedra que acabara de levar uma pisada.
- Desculpe, Dona Pedra. Tenho tanta pressa... não a vi. Mas também, o que faz aí, bem no meio do caminho?
- Veja que insolente! Eu estou onde deveria estar. Aqui nasci e aqui vou ficar. E ai daquele que em mim tropeçar!
Observou-a desconcertada. Precisava ir andando.
-Desculpe mais uma vez, Dona Pedra. Não vou lhe incomodar, prestarei mais atenção.
Ela se foi. Dona Pedra continuou no mesmo lugar.

Vez ou outra você vai tropeçar, não há mal nenhum nisso. Pior é ser pedra que não sai do lugar. Vive levando topada e pior: atrapalha quem quer caminhar.

Sabrina Davanzo


4 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Xiiii!
Quantos pedregulhos
há por aí...

Reza o ditado:
"se não quer ajudar,
ao menos não atrapalhe!"

Beijo, Sabrina!

Sueli disse...

Sabrina, sensacional essa sua história! Fez-me lembrar de uma pessoa que conheço... uma pessoa-pedra...rs. Beijo!

Neotenia disse...

Dei uma tropeçada grande esses dias, mas vendo as coisas como você descreve é bem mais fácil aceitar...


Grande abraço!

BAR DO BARDO disse...

é politicamente incorreto falar mal da dona pedra - ela tem lá os seus motivos para ser nervosinha...