23 de nov de 2013

O oposto do certo






 Praticar o desapego.
Esperar pelo melhor.  
Viver o agora. 
Não olhar para trás. 
Seguir em frente. 
Não dar o braço a torcer. 
Ser mais eu. 

São tantas regras de autoajuda
 que acabo me esquecendo que sou humana. 
Com licença, 
É PERMITIDO falhar. 
Graças a Deus existe o erro, a recaída, a entrega,
 sem os quais a vida seria uma eterna e cansativa vitória 
sobre meus limites e sobre os outros. 
Deixe-me um tempo aqui, 
no fundo do poço, 
que é para eu me conhecer e saber, 
por tentativas, erros e acertos, 
até onde posso ir.

Sabrina Davanzo 





5 de nov de 2013

Sobre vazios


O vazio é um espaço hermético 
que o medo cava dentro da gente.
É um vulcão que, de tempo em tempo, 
traz a lava ao topo e ameaça-nos com a erupção.
Intimida-nos com o derramamento
de nós mesmos.
O vazio é uma profundeza inavegável.


Sabrina Davanzo 


2 de nov de 2013

Pirilampo


É preciso que você aprenda a ser que nem o vagalume. 
Encontre sua própria luz, saiba caminhar na escuridão sem depender da claridade de ninguém.
Procure descobrir como iluminar o caminho do outro sem consumir a sua própria energia.
Não tenha medo! Sua luz é suficiente para transpor a noite e se manterá acesa até o sol raiar, se assim você acreditar.


Sabrina Davanzo 


1 de nov de 2013

Relógio de Ponto


Há algum tempo, ela nota que os dias nascem religiosamente no mesmo horário, à revelia da sua vontade.
Que sacrifício encará-los logo após despregar os olhos ainda preguiçosos e desacostumados à luz.
Toma o seu café insípido (é muito cedo para o paladar identificar o gosto de alguma coisa) e parte para as próximas 24 horas que ela nem pediu para viver.
Quanta emoção cabe em um dia?
Já teve um em que ela se apaixonou. No outro, despediu-se da mãe do melhor amigo, teve aquele que ela passou no vestibular e ainda um em que deu cinco pontos na testa.
Tem dias que ela preferia não despertar, queria ficar embaixo da coberta até o próximo sol raiar.
Já reparou que o cérebro não para um minuto? Quantos milhões de pensamentos na cabeça o dia todo? Isso às vezes cansa.

Ela queria pausas, mas a vida não as faz. Não espera o cansaço dela, nem a vontade de ficar mais cinco minutos na cama.
Caso ceda à tentação, o relógio de ponto da firma registra o atraso, descontando do salário as horas e minutos não aproveitados.
Di-a-a-d-i-a: não tem como fugir.

Sabrina Davanzo