2 de jan de 2013

Recomeço



Em 2012, escrevi muito pouco. Não que tenha me faltado inspiração. Graças a Deus, vivi experiências de sobra que renderiam bons textos ou, pelo menos, bons temas. Mas parece que me sentia melhor guardando estas memórias numa espécie de caixa para poder revisitá-las sempre que quisesse sem que ninguém soubesse.
Eu sei... Soa meio egoísta, mas quem não o é, quando se trata das próprias emoções? Sem me dar conta, criei um retiro sentimental e agora acho que é hora de voltar a me abrir. Quero me expor de novo, questionar a vida, exaltar suas particularidades.
Como passei tanto tempo longe, estou insegura. Será que vou parecer repetitiva? Desinteressante? Preciso aprender a deixar fluir de novo, sem medo. Deixar a correnteza arrastar as palavras.
Uma coisa eu posso garantir: eu aprendi a falar de amor. Talvez eu conte sobre isso durante este ano todo... Talvez eu já nem tenha mais outro assunto.
Peço que tenham paciência comigo. Vou abrir a caixa e, aos poucos, revelar o que guardei com tanto cuidado.
É hora de me desvendar. Com licença, vou me re-apresentar.

Sabrina Davanzo 


Um comentário:

Clara Gontijo disse...

pois é minha amiga, as vezes parece que InspiraDor vem de dor, nossa conhecida frase "ostra feliz não faz pérolas..." mas amar é por sí uma InspirAção tão grande, que a vontade é parar de pensar e simplesmente viver... amor não se escreve com palavras, se sente no laço dos abraços, no silêncio dos beijos, no brilho dos olhos...
Você não parou de fazer poesia, acho que fez as mais bonitas de sua história... só não foi preciso escrever.