6 de abr de 2009

Percepção


Sinto que sou frágil. Meu temperamento está ligado às situações que estão diante de mim.
Meus olhos... Ah, os meus olhos... como me enganam. Fazem com que eu enxergue coisas onde não têm. Transformam um sopro em vendaval. Minhas mãos me traem agarrando-se em algo que já não faz sentido.
Sou toda pavor. Gato arisco. Queixumes. Até na risada escancarada percebo fantasmas. Meu coração já caducou. Não sabe mais falar por si só. Está sempre pedindo conselhos.
Percebo o mundo através de uma redoma de vidro. Saio de vez em quando só para constatar que aqui dentro é mais seguro.


Sabrina Davanzo

8 comentários:

BAR DO BARDO disse...

é dentro

onde

o centro

me esconde

Maria disse...

Os olhos tem esta mania mesmo de pregar peças! Seu coração se protege, pq só ele sabe a dor. Mas existem brechas, e são elas que vão te permitir sair, não pra perder tua segurança, mas pra trazer alguém pra dentro, onde estarão seguros!

Meu beijo, linda.

Flor disse...

"Saio de vez em quando só para constatar que aqui dentro é mais seguro"

É... Dentro é mais seguro mesmo.

Eu adorei aqui. Memso.

Beijo grande.

Leite de Pedra disse...

Há fases da vida. Como as da lua, elas mudam. Há quew dar tempo ao tempo para tudo voltar ao lugar. O seu coração está longe de caducar. Apenas está a refazer-se.

NiNah disse...

Hummm
Já me senti assim. *abafa*
Bjo

Bill Falcão disse...

Não há dúvida que é mais seguro!
Bjoooooooo!!!!!!!

marlise disse...

Sabrina, tenho fases assim. É uma tempestade: "Transformam um sopro em vendaval...". Mas, já me disseram que tudo na vida passa: os bons momentos como também os maus momentos. Temos de superar tudo e vamos ficando mais fortes, eu acho. Abraços.

Clara Gontijo disse...

se um dia realmente caducar, que caduque em cantinhos bons, esses que sobram das ondas de rosas, esses onde ficam guardadas as mensagens de carinho, da pessoa que ouve, que abraça, que é delicada, que ama e é amada, linda de viver. Junte as rosas, use os espinhos para trincar redomas, tem tantas doçura no inverso... percebe?
aiui! Adoro!