10 de nov de 2009

Reflexão


E se eu me pareço perdida... é por não saber o que fazer com tanta vida... pensar que o sangue corre em minhas veias enquanto escrevo estas linha é assustador. O fato de órgãos pulsarem dentro de mim, contra a minha vontade, é de tirar o fôlego. Eu não tenho o controle. Sou pequena diante de minha existência. Devo respeito a quem me criou com tanta perfeição? Estranho... não pedi para ser criada... ou pedi? Se antes de nascer fiz um trato com Deus, peço desculpas. Também não controlo minhas lembranças. Não me informaram, mas sinto que sou feita de paixão e medo. E que coisa.. ele me deu olhos para apreciar tudo o que é moldado diariamente por suas mãos delicadas.

Agradecer é parte dos compromissos que ele me impôs. Às vezes ele é bem rígido. Quando me obriga a perdoar, por exemplo. Felizmente, também consegue ser doce ao me enviar borboletas todas as manhãs.
Por todos os ritmos compassados do coração que bate em meu peito, eu lhe agradeço. Ainda que eu não compreenda...

Sabrina Davanzo

6 comentários:

Thyago disse...



Sabrina sua piruca! Seu blog até hj n estava no Delicious da agência (http://delicious.com/nutcasecomunicacao)...

Fomos a 5a pessoa a adicionar ele no delicious, isso quer dizer que mais 4 já adicionaram nos delas...

Bum!

Luana Gabriela disse...

Sabrina, que jeito perfeito de falar de Deus. Da maneira mais simples, sobre a vida, letras, perdão e borboleta. Me encantei, quisera eu saber amar a Deus escrevendo estas coisas...mas amo do meu jeito sem poesia mesmo.

Lindo!


Abç.

Renata de Aragão Lopes disse...

Bonita reflexão, Sabrina!

A nossa condição
de vulnerabilidade
e ignorância
é, por vezes,
realmente assustadora...

Felizmente,
há borboletas
e outros pequeninos
grandes alentos! : )

Um beijo,
doce de lira

Xandy disse...

...FANTÁSTICO!!! SIMPLESMENTE FANTÁSTICO!!! PARABÉNS PELA SENSIBILIDADE TODA PARTICULAR SUA...BEIJOSSSSS

Carol disse...

A cada dia que passa, me impressiono mais com sua sensibilidade e delicadeza para falar sobre coisas tão difíceis com palavras tão simples.
É possível conhecer uma pessoa por completo? Ou, apesar de tantos anos passados, é comum ainda nos surpreendermos uma com a outra?
Não sei se sempre soube que havia tanto talento guardado ou se minha surpresa cresce a cada dia.
Sei que é lindo ver o seu trabalho... e chorar sorrindo com ele de vez em quando...

Isabela disse...

Texto maravilhoso!!!

a vida pulsa em você!!!e nos seus versos!