24 de jan de 2013

Estranho

 Hoje meu coração amanheceu apertado.
Cheio de incertezas, como se navegasse à deriva.
Sem rumo, sem casa,
 carente não sei do que.
Hoje o meu coração acordou doído,
sofrido
 sem nenhuma explicação.
Eu tenho medo desses repentes.
Inconstâncias que fragilizam esse órgão já tão delicado
e alteram o ritmo da vida.
Quando fica assim,
coração parece querer dizer alguma coisa.
 "Tome cuidado", "afaste-se!", "Não faça isso, não vá por aí!"...
Como vou saber?
 Coração não sabe falar, só sabe sentir.
Sem entender,
fico aqui com esse aperto que dói sem doer.
Seria tão mais simples se o problema se limitasse a interpretação...
Coração, por favor, seja claro!
 O que você tem para me dizer?

Sabrina Davanzo

7 de jan de 2013

Conselho para ser feliz no ano novo



Procure ser feliz por você mesmo, sem esperar por nada nem ninguém. Não deposite sua felicidade em alguém que pode partir a qualquer momento ou nem mesmo chegar. Já imaginou a responsabilidade que você transfere para as pessoas quando espera que elas alegrem os seus dias?
Não paute sua felicidade no aumento que você ainda não teve, nas roupas que você ainda vai comprar ou nas viagens que pretende fazer. Os momentos que você ainda não viveu não lhe pertencem.  Aprenda a contentar-se com o que você tem nas mãos hoje.
Trace metas e objetivos e cumpra-os. Quer emagrecer? Pare de adiar a dieta. Quer ajudar os outros? Não espere ganhar na mega sena para só então fazer caridade. Quer conhecer pessoas interessantes? Saia de casa e vá a lugares legais.  Quer ler mais? Tire os livros da estante e começo-os logo.
Ser feliz aqui e agora depende unicamente de você.  Só você pode, ao levantar, escolher as lentes que vai usar para encarar a rotina. Optar pelas cores, evitar os tons escuros, focar menos nos problemas, ampliar a visão para além, onde se encontram as soluções, pensar e agir positivamente. Exercícios simples, que não custam nada e fazem um bem danado. É pela sua própria leveza. É pela sua saúde mental, física e emocional.
Experimente. Faça um ano realmente novo dentro de você.
Sabrina Davanzo

2 de jan de 2013

Recomeço



Em 2012, escrevi muito pouco. Não que tenha me faltado inspiração. Graças a Deus, vivi experiências de sobra que renderiam bons textos ou, pelo menos, bons temas. Mas parece que me sentia melhor guardando estas memórias numa espécie de caixa para poder revisitá-las sempre que quisesse sem que ninguém soubesse.
Eu sei... Soa meio egoísta, mas quem não o é, quando se trata das próprias emoções? Sem me dar conta, criei um retiro sentimental e agora acho que é hora de voltar a me abrir. Quero me expor de novo, questionar a vida, exaltar suas particularidades.
Como passei tanto tempo longe, estou insegura. Será que vou parecer repetitiva? Desinteressante? Preciso aprender a deixar fluir de novo, sem medo. Deixar a correnteza arrastar as palavras.
Uma coisa eu posso garantir: eu aprendi a falar de amor. Talvez eu conte sobre isso durante este ano todo... Talvez eu já nem tenha mais outro assunto.
Peço que tenham paciência comigo. Vou abrir a caixa e, aos poucos, revelar o que guardei com tanto cuidado.
É hora de me desvendar. Com licença, vou me re-apresentar.

Sabrina Davanzo 


Declaração


Eu poderia ter a sensibilidade da Marisa, a doçura da Mallu e a sensualidade da Roberta para cantar, no pé do seu ouvido, o que eu sinto por você.
Eu poderia ter a coragem de me arriscar, de largar tudo e enfrentar o desconhecido, igual ao personagem do filme que você mais gosta.
Eu poderia ter a genialidade dos profissionais que você tanto admira.
Eu poderia ter a beleza "sem-sal" da Maria Flor, sua atriz preferida, e quem sabe até um nome mais cool como o dela.
Poderia viajar com você por aí, por esses lugares que a gente só conhece pelo Instagram.
Eu poderia ser mais blasé como a Summer ou mais cult como o Tom, personagens do seu segundo filme preferido.
Poderia ser mais sexy como as mulheres que você vê na TV nas tardes de domingo ou ainda ser criatiavamente engraçada como os humoristas que você curte. 
Poderia escrever como o Marcelo Camelo, com palavras difíceis, frases desconexas que no fim fazem sentido para traduzir nossa relação.  
Eu poderia ser uma infinidade de combinações de personalidades que te agradam, mas eu sou exatamente do meu jeito e mesmo com todas estas ausências você me quer.
Você não exige de mim o que não posso ser, não quer me igualar ao seu mundo, apenas o compartilha comigo.
E eu aprendo sobre você. E eu o amo e admiro um pouco mais a cada nova lição.


Sabrina Davanzo