15 de set de 2011

Aprende...


Aprenda de uma vez que tem coisas que acabam para sempre como se fosse proibido seguir em frente com elas.
No inicío, você quer espernear no meio da praça e pensa a cada maldito segundo na situação, entrando numa espécie de obsessão. Até cogita a ideia de desistir porque é bem capaz que você não aguente passar por isso.
Aí um dia, sem aviso prévio, você acorda e a coisa toda já esfriou. Você não chega a esquecer, mas lida com a história como se ela fosse um vaso no canto da sala que não incomoda ninguém.
O "para sempre" acontece enquanto você segue com a sua vida. Você sobrevive. E quer saber? Vai sobreviver sempre a todas essas coisas de pessoas e situações que não deram certo. Eu não estou aqui?
Vai passar, menina e tem mais: você acostuma, amadurece.

Então, agora relaxa! Aproveita que você não tem escolha e abre essa mão, desocupa o coração. Solta desse abraço e deixa ir de uma vez. Para que atrasar o que vai partir de qualquer jeito?

Sabrina Davanzo


6 de set de 2011

(...)



É bonito quando chega o momento em que não existe mais nada para ser dito.
Ou é ou não é. Ou ata ou desata.
Sem esforço. Sem nenhum contragosto.
A vida decide de graça o que vai ser sem que ninguém precise pagar uma alta dose emocional por isso.



Sabrina Davanzo

a.c



Quando eu parar de me impor torturas medievais
em nome de esperanças frustradas,
minha pele (finalmente) conhecerá o significado de paz.


Sabrina Davanzo





1 de set de 2011

Notas 2


Um bom clichê tem o seu lugar.

...

Eu ficaria feliz se hoje, de repente, fosse decretado "Dia Internacional do Moleton" e todo mundo fosse obrigado a vestir roupas confortáveis, quentinhas e fofas.

...


Sabrina Davanzo