18 de dez de 2009

Oráculo


Seus olhos, meu amor dizem tudo o que eu preciso saber: você me ama e eu amo você.

Sabrina Davanzo

Destino: Polo Norte



Querido Papai Noel,

Hoje estou escrevendo para dizer que não ficaremos tristes se, neste ano, o senhor não quiser aparecer. Eu sinto muito pela sua casa... Nós realmente não fomos bonzinhos nestes últimos tempos e o resultado é que acabamos fazendo mal até para o senhor. Eu já pedi para minha mãe guardar todo o gelo do congelador da geladeira aqui de casa para lhe enviar de presente. Não é porque o senhor é o Papai Noel que deve ganhar presentes, não é verdade? Falei com a mamãe que gostaria muito de ajudar aqueles ursinhos brancos que vivem aí com o senhor também, talvez trazer alguns para morar aqui em casa... mas acho que não teríamos espaço e gelo suficientes para eles. Vou ver com o Seu Angelo, o dono da vendinha aqui da minha rua. Ele tem um freezer bem grande, talvez possa ajudar.
Agora vou me despedir, Papai Noel. Nem vou pedir nada esse ano não, mas se ainda assim o senhor achar que merecemos alguma coisa, traga um pouco de consciência para todos nós, por favor.

Um beijo, Papai Noel. Até no ano que vem.

Sabrina Davanzo


15 de dez de 2009

Sentença


Tanto me cobrei e hoje acabo descobrindo que não sei lidar com dívidas. Sem levá-las a sério, fico devendo a mim mesma, às minhas expectativas. Não tenho nem coragem de encarar as pessoas nas ruas. Suas expressões, se não refletem seu próprio interior, me acusam de desonesta.
É imperdoável o crime de trair-me. Por isso, não sem autopiedade, espero minha sentença. Já não tento mudar. Já não sei me encarar. Escondo-me tal qual o criminoso que envergonha-se e teme represálias.
Prometo enviar-lhe notícias do meu cárcere.

Sabrina Davanzo

De La Mancha


Ando meia quixotesca. Trago dentro de mim muitos sonhos para fugir da dura realidade.

Sabrina Davanzo

9 de dez de 2009

Fique ao meu lado

Leia ouvindo: Minueto - Bach

Minha vontade é esperar pela primavera onde o calor do sol aquece sem castigar; Onde o canto dos pássaros é sinfonia em homenagem a vida e a tarde é poema escrito lentamente no céu. Talvez eu resista às tempestades deste verão escandaloso e alterado só para presenciar a aquarela da primavera. Meu corpo castigado pela intensidade do calor espera a paz da mais doce das estações.
Ah! Como desejo a primavera e seus cheiros... como desejo enxergar a vida desabrochando bela e perfeita diante dos meus olhos. Já posso me imaginar correndo pelas ruas proclamando: "Chegou a primavera! Libertem suas almas!". Mas, antes, espera ao meu lado, meu amigo, por esta bonança. Não se apresse em ir embora quando chega o verão... Fique por perto enquanto esses outros tempos precisam passar. Espera comigo, meu companheiro, o florescer. Porque uma hora ele há de chegar.


Sabrina Davanzo

Surpresa...

A vida é sacolinha surpresa. Para alguns felicidade é chiclete - saborea-se por um longo tempo e só se desfaz dele quando quiser. Outros vivem de emoções passageiras - balinhas sortidas, de cores, tamanhos e gosto diferentes- e, nem por isso, menos alegres e intensas. O que não falta é um brinquedo, ainda que singelo, para todos. Para viver é preciso passar no balcão, pegar sua sacolinha e cruzar os dedos para encontrar um monte de coisas boas.

Sabrina Davanzo

7 de dez de 2009

É assim que ela é


Tem força no corpo e amor no coração
vai indo sem nem sonhar
que é pra não dar pernas aos delírios.
Por onde encontra alguém diz:
- Pois saiba que admiro muito você!
Aprendeu que as pessoas precisam ser louvadas.
Da infância
guarda só lembranças de um tempo
que fotografia era luxo.
Não sabe aonde vai chegar
mas está decidida que no meio do caminho
não vai ficar.

Sabrina Davanzo

É só olhar pra cima...


Se pelo caminho você só enxerga espinhos e trás as mãos cheias de marcas, experimente não se agarrar a eles, caminha sem se reter à aspereza. Um dia você irá descobrir que acima dos espinhos que lhe ferem, existe a maciez da flor.

Sabrina Davanzo

Também sou pequena demais...


Já faz dias que o sol não aparece, cai uma chuva fina e insistente. Começo a pensar se não é reflexo da dor de quem vive abaixo do céu. Eu conheço algumas pessoas que parecem tempestade, frente fria, sol entre nuvens.
Quisera eu ser raio de sol que transcende todos eles... que nada! Também não passo de uma gotinha dessa chuva que cai sem parar.

Sabrina Davanzo

Disfarce


Tal qual uma dona de casa fatigada, varria todos os seus medos para debaixo do tapete. Disfarçava-os com os belos arabescos bordados no tecido. A sujeira continuava ali, mas oculta por uma certa beleza. Assim ela se apresentava sempre com uma casa agradável aos olhos dos visitantes menos atenciosos. Quando era o caso de alguém botar reparo, tratava de disfarçar comentando sobre as violetas na janela e os benefícios da luz em suas pétalas. Nada como falar de suavidade quando se tem diante dos olhos algo tão denso como o medo.

Sabrina Davanzo

3 de dez de 2009

Sobre os que estão no seu caminho...


Ama teus amigos. Respeita aqueles que não lhe são tão caros e ainda mais os que lhe causam verdadeira aversão. Todos fazem parte de sua eterna caminhada na busca de conhecer a ti mesmo. A forma que você lida com o outro diz muito sobre você.

Sabrina Davanzo

Dezembro


Dezembro é fim de calendário. Última folhinha solitária e resistente. É um mês estranho, que dá saudade do que passou, medo, ansiedade do que está por vir. Ainda que as perspectivas sejam boas, aparece um friozinho na barriga que indica: mais um ano inteirinho vem aí. Dezembro é um pouco nostálgico. Ele é como um filminho sendo retrocedido na memória da gente. O que se perdeu, aproveitou, viveu... Dezembro é uma pausa no meio de 11 meses. É reflexão para desfazer, corrigir, recomeçar, repensar e, há quem diga, é tornar-se mais solidário. São 31 dias que temos para fazer uma autoanálise e recobrar as forças... Janeiro está logo ali... "o tempo não para".
Sabrina Davanzo